PRERROGATIVAS, UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA!

MATO GROSSO - 1ª SUBSEÇÃO DE RONDONÓPOLIS

Newsletter


Ir para opção de Cancelamento

Agenda de Eventos

Junho de 2020 | Ver mais
D S T Q Q S S
# 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 # # # #

Artigo | mais artigos

Recuperação Judicial não é para cães que ladram

Data: 21/05/2020 18:00

Autor: Marco Aurélio Mestre Medeiros

img    A Recuperação Judicial (RJ) permanecerá como um instituto permanente de preservação de negócios e empregos no Brasil, independentemente do cenário. Seja em períodos de pandemia ou fora dela, a RJ tem beneficiado milhões de cidadãos brasileiros, dentre empresários e trabalhadores que dependem da atividade empresarial. O cenário do empreendedorismo brasileiro mudou depois que a Lei 11.101/2005 foi sancionada.

 

    Esta legislação regula a recuperação judicial, a extrajudicial e a falência do empresário e da sociedade empresária. Ao mesmo tempo em que trouxe novos ares e um fôlego para empresas nacionais, trouxe esperança para muitos que, devido a situações adversas, viram seus negócios afundarem em dívidas. Diferentemente do que muitos podem pensar, não é culpa das mulheres e homens de negócio que o país passe por uma crise.

 

    Não é possível que alguns critiquem este modelo de sucesso e coloquem em xeque um instrumento tão importante para o desenvolvimento nacional. Recentemente, acompanhei conteúdos publicados em várias mídias de pessoas que não conhecem a realidade socioeconômica brasileira, mas que insistem em criticar a RJ. Os argumentos? Alegam que há inúmeras RJs irregulares e pregam por aí que inúmeros agentes promoveram atos de corrupção durante pedidos de Recuperação feitos Brasil afora.

 

    Ora, corrupção existe em qualquer lugar do mundo e isso não faz que a democracia deixe de existir. Não se pode generalizar. Da mesma maneira, não é justo lançar dúvidas sobre um instituto sólido e que contribui para a prosperidade do Brasil. A maior parte desses que comentam injustamente sobre a RJ é formada por pessoas que atendem a interesses de empresas que não precisam da Recuperação Judicial.

 

    Essa dor de cotovelo de alguns poucos precisa ser curada. É preciso levar em conta que a recuperação de uma empresa favorece não somente um negócio, mas uma cadeia inteira de serviços e produtos. Um empresa em recuperação significa benefícios para um grupo muito grande de agentes envolvidos. Espero que os críticos à Recuperação Judicial sejam sensíveis às necessidades da população. Ninguém pede RJ por capricho ou vaidade.

 

    Digam o que quiserem, essa importante ferramenta chegou para ficar. Críticas não serão suficientes para barrar a manutenção das empresas brasileiras. Deixem o empresariado trabalhar. Afinal de contas, a recuperação judicial não é para cães que ladram, e sim essencial para os empreendedores nacionais.

 

Marco Aurélio Mestre Medeiros é advogado especialista em Recuperação Judicial. Email: marcomedeiros@mestremedeiros.com.br